Editorial

1

Samarone Lima nasceu no Crato-CE, em 1969. Muda-se para o Recife em 1987, onde se forma em jornalismo pela Universidade Federal de Pernambuco. Como jornalista, trabalha nos jornais Diário de Pernambuco, Jornal do Commercio, na revista Veja e na revista pornô Brazil, escrevendo relatos eróticos.

Em 1998, publica seu primeiro livro – Zé: José Carlos Novais da Mata Machado, uma reportagem pela editora Mazza. Em setembro de 2000, conclui o mestrado no Programa de Integração da América Latina, da USP, onde desenvolveu a pesquisa que deu origem ao livro Clamor: a vitória de uma conspiração brasileira, publicado em 2003 pela Objetiva.

Na sua volta ao Recife, Samarone trabalhou como professor da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) e foi sócio de dois bares o La Prensa e o Garrafus. Passou a escrever crônicas no site APonte e, com o fim da página, migrou para o portal JC OnLine (hoje NE10) e hoje se mantém no site Estuário. Esse material, produzido entre 2004 e 2005, deu origem a coletânea Estuário: crônicas do Recife, que foi lançada na Bienal do Livro de Pernambuco em 2005 e depois ganhou 2ª edição pela Bagaço em 2006.

Em 2009, após uma viagem a Cuba, Samarone publica o livro Viagem ao crepúsculo, onde narra sua experiência na ilha de Fidel Castro. O livro foi um dos finalistas do Prêmio Jabuti na categoria reportagem.

Em 2005 passa a publicar seus poemas no blog Quemerospoemas. Após o incentivo de Arsênio Meira de Vasconcellos Junior, decide publicá-los em livro. Desse material, surgem os livros Tempo de Vidro e A praça azul, publicados numa caixa única pela editora Paés em 2012. Com eles, Samarone foi um dos finalistas do Prêmio Jabuti na categoria poesia.

No ano seguinte, o autor publica um novo volume de poemas: O aquário desenterrado pela Confraria do Vento, que foi o 2º colocado do Prêmio Brasília de Literatura e venceu o Prêmio Alphonsus de Guimarães concedido pela Fundação Biblioteca Nacional.

Compartilhe

Sobre o autor

1 comentário

  1. Pingback: Marcelino Freire e Samarone Lima entre os vencedores da Biblioteca Nacional - vacatussa

Comente!