Viagem ao crepúsculo – Samarone Lima

48
[learn_more caption=”PRÓLOGO” state=”open”]

samarone-crepusculoAutor: Samarone Lima nasceu na cidade do Crato, interior do Ceará, em 1969. É jornalista, cronista e poeta. Como jornalista, trabalhou no Diário de Pernambuco, Jornal do Commercio, Revista Veja. Foi finalista do prêmio Jabuti por duas vezes (na categorias reportagem e poesia) e foi 2º colocado na categoria poesia do Prêmio Brasília de Literatura pelo livro O aquário desenterrado.

Livro: Viagem ao crepúsculo é o terceiro livro-reportagem de Samarone Lima. Com ele, o autor foi finalista do Prêmio Jabuti na categoria reportagem. A bela imagem que ilustra a capa da primeira edição é do fotógrafo Beto Figueiroa. O livro foi reeditado em 2012, com novo projeto gráfico pela editora Paés.

Tema e Enredo: O livro promove a demolição dos mitos revolucionários através de relatos do povo cubano durante os últimos dias de Fidel Castro ao poder.

Forma: Viagem ao crepúsculo foi construído como uma antirreportagem, sem fontes oficiais, investigações, levantamentos de dados ou, nem mesmo, perguntas.

[/learn_more]

[learn_more caption=”CRÍTICA” state=”open”]

Os subterrâneos da ilha da fantasia

A ilha de Cuba flutua em cima de exemplos de saúde pública, justiça e igualdade social no nosso imaginário. Se essa imagem mitológica no Brasil já tinha sofrido um arranhão no prefácio da edição comemorativa pelos 25 anos do clássico A ilha de Fernando Morais, agora ela se espatifa de vez com a publicação de Viagem ao crepúsculo, escrito pelo jornalista cearense radicado no Recife, Samarone Lima.

O livro promove a demolição dos mitos revolucionários através de relatos do povo cubano e experiências colhidas durante os últimos dias antes da renúncia de Fidel Castro ao poder. Ao contrário de seus dois livros anteriores, e Clamor; Viagem ao crepúsculo foi construído como uma antirreportagem, sem fontes oficiais, investigações, levantamentos de dados ou, nem mesmo, perguntas.

Apesar do formato de informalidade jornalística, Viagem ao crepúsculo aborda uma gama de temas tão completa quanto A ilha. Sempre baseado no olhar em primeira pessoa, o livro trata de religião, economia, política, turismo, saúde, liberdade de imprensa e repressão. Os assuntos não aparecem isolados em capítulos, nem vem recheados de detalhes estatísticos. Eles surgem aos poucos, de maneira natural, somem, depois voltam, seguindo um ciclo de acordo com as andanças de Samarone e o encontro com as vozes de quem precisa lutar pela sobrevivência diariamente.

Espécie de mistura de diário de viagem e livro em processo, Viagem ao crepúsculo é o resultado de quatro cadernos de anotações feitas durante viagem à Cuba entre dezembro de 2007 e janeiro de 2008. Como o livro foi escrito com base nessas notas, ele já possui um certo distanciamento do autor, que aparece em forma de reflexões e contextualizações além da experiência vivida na ilha.

O texto, porém, poderia ser outro, bastante diferente. Mas o acaso fez com que o jornalista se hospedasse na casa dos gays Jaime e Paco, fosse apresentado a Celeste e conhecesse os estudantes brasileiros de medicina Martin e Malena (nomes fictícios criados pelo autor para preservar as pessoas). A partir desse convívio, o autor teve acesso ao cotidiano dos cubanos e, de suas conversas, pôde constatar o estado de degradação da ilha de Fidel, já mostrado pelo cubano Pedro Juan Gutiérrez em Trilogia suja de Havana.

Samarone sofreu com a corrupção dos serviços públicos, conheceu as artimanhas do mercado-negro para adquirir bens básicos, percebeu a força da propaganda política, os efeitos corrosivos da miséria nos princípios morais da sociedade cubana. Ainda assim, mesmo com todas as dificuldades, também pôde sentir a solidariedade do povo cubano. Pelas notícias que ainda recebe de lá, nem o afastamento de Fidel serviu como um suspiro de esperança.

Lido em Jul./Ago de 2009

Escrito em 03.08.2009

[author][author_image timthumb=’on’]http://www.vacatussa.com/wp-content/uploads/2014/03/Thiago-Corrêa-Foto-de-Ale-Ribeiro-3.jpg[/author_image] [author_info]Thiago Corrêa é jornalista e mestre em Teoria da Literatura pela UFPE.

Relação com o escritor: Conheci Samarone quando o entrevistei para um trabalho da faculdade. Já como jornalista, entramos em contato novamente em eventos e por conta do lançamento da coletânea A cabeça do futebol e de Viagem ao crepúsculo, e devido ao seu trabalho como assessor do escritor Ariano Suassuna. [/author_info] [/author] [/learn_more] [learn_more caption=”FICHA TÉCNICA” state=”close”]

Viagem ao crepúsculo

Samarone Lima

Casa das Musas

1a. edição, 2009

232 páginas

[/learn_more] [learn_more caption=”TRECHO” state=”close”]

“Lembrei de ‘Memórias do Subdesenvolvimento’, de Tomás Gutiérrez Alea, um filme de 1968 que mostrava a ilha logo depois da revolução, com suas ruas deslumbrantes, casas imensas, pessoas bem vestidas. A impressão que me dava era que se o filme fosse rodado nas mesmas ruas, 40 anos depois, o cenário estaria velho, descascado, as pessoas cansadas, digerindo um crepúsculo interminável.” (p. 61).

[/learn_more] [learn_more caption=”OUTRAS OPINIÕES” state=”close”]

Roberto Gomes, Gazeta do Povo, em 2 de janeiro de 2010.

(http://www.gazetadopovo.com.br/colunistas/conteudo.phtml?id=959539).

“Seu livro é um delicioso relato de viagem. Vivendo como clandestino, opta pela Cuba real. Mostra-se um excelente ouvinte. Ouve e registra. Não contesta, não orienta, não polemiza. Quer saber como vivem os cubanos e se hospeda em suas casas.”

Antonio do Amaral Rocha, Rolling Stone, em 6 de janeiro de 2010.

(http://rollingstone.uol.com.br/guia/livro/viagem-ao-crepusculo/).

“Lendo-se os relatos de Viagem ao Crepúsculo, tem-se a impressão de que o jornalista, ao conseguir comprovar uma tese sobre as mazelas da vida cubana, deuse por satisfeito, concluindo que tinha uma boa história a partir do que ouviu das pessoas nas casas onde se hospedou. Se esse era o seu propósito, não há dúvidas de que conseguiu aumentar o rol de opiniões que hoje, de alguma forma, desmontam as versões sobre as conquistas da revolução cubana. O problema que se coloca é que a análise de uma realidade social não pode ser ancorada num só ponto de vista. E, ainda quanto à formulação de uma tese (ouvir a realidade do povo cubano), ela pode perfeitamente ter sido montada a partir das opiniões favoráveis/desfavoráveis que se colheram. Assim, o jornalismo nunca foi e nunca será isento e nesse caso faz uso do factualismo rebaixado, que é um recurso corriqueiro. Por isso, Viagem ao Crepúsculo é um relato desconcertante. Há que se destacar, em meio ao texto que flui sem maiores problemas, “metáforas” do tipo “gordinho de gravata e cara de punheteiro”, que, por mais que se esforce, não fazem sentido. Some-se a isso a titulagem bisonha da capa e a falta de cuidado na revisão: um hífen não é um travessão.”

Ângelo Monteiro, no Jornal do Commercio, em 11 de abril de 2012

“Às vezes seu texto, cheio de sabor jornalístico, ganha caráter ficcional quando, ao ocultar, por medida de proteção, a identidade dos personagens, apela para achados instantâneos expressivos, como de transformar um funcionário aduaneiro com cara de rato em Camundongo.”

[/learn_more] [learn_more caption=”LEIA TAMBÉM” state=”close”]

Do mesmo autor

– Samarone Lima

Clamor – Samarone Lima

Estuário – Samarone Lima

Tempo de Vidro e A praça azul – Samarone Lima

O aquário desenterrado – Samarone Lima

Livros relacionados

A ilha – Fernando Morais

Trilogia suja de Havana – Pedro Juan Gutiérrez

Entrevista

Entrevista de Samarone Lima ao Vacatussa (agosto de 2014)

Links relacionados

Blog do autor: Estuário

[/learn_more]
Compartilhe

Sobre o autor

Jornalista e mestre em Teoria da Literatura pela UFPE, onde desenvolveu pesquisa sobre narrativa em literatura eletrônica. É um dos fundadores do Vacatussa, integrou a equipe do programa de rádio Café Colombo, passou pelas redações dos jornais Folha de Pernambuco e Diario de Pernambuco.

48 Comentários

  1. fernando mousinho em

    Prezado Thiago,

    Não vou aqui repetir o que considero preconceito. Vou me referir ao texto que li acima e não ao livro que não li. Querer desconstruir os cinquenta anos da Revolução Cubana a partir de um passeio de 30 dias pela Ilha, não considero sério. É muito fácil generalizar Recife -ou qualquer outra cidade brasileira do porte-a partir de particularidades tais e quais, mas jamais se alcançará retratar sua totalidade. Isto do ponto de vista da honestidade com o leitor e com os princípios da própria literatura. A potência primeiromundista EUA contam hoje com 40 milhões de miseráveis … e então, dá para generalizar, num universo de quase 300 milhões de habitantes?

    Fernando Mousinho

  2. Cristhiane Néllie em

    Realmente concordo que escrever um livro em um intensivo 30 ou 40 dias com simplistas conclusões parece não ter tanta seriedade e respeito com os leitores. A verdade é que os 50 anos de socialismo em Cuba não há de ser ignorado. Muitas coisas maravilhosas aconteceram e ainda acontecem por lá. O capitalismo está tão arraigado em nossas cabeças que a maioria das pessoas não tem a sensibilidade para reconhecer o que foi e é bom para cidadãos cubanos. Minha professora de Ciência Política esteve por lá em 94 e voltou fascinada com a Educação, Saúde….Independente de nossas posições políticos-partidárias., precisamos saber discernir o que vale e o que não vale para o bem de todos.

  3. Laércio Lucas Baryoussef em

    Eu não li o livro, mas certamente vou lê-lo. Estive numa palestra com Samarone e gostei da proposta de escrever livro-reportagem sobre viagens. É óbvio que não irá mudar minha visão da revolução cubana, da qual sou um entusiasta (sem botar “panos quentes” nos erros). Porém, o que mais me impressiona ainda hoje é que muitas pessoas tem um orgasmo sádico pelas misérias alheias; pelo malogro das revoluções sociais; pela destruição completa de tudo aquilo que se pareça com povo, popular, das gentes. “Dái-nos luz, oh Deus dos justos”.

  4. Carlos Eduardo (Presidente Epitacio/S.P) em

    Num comentário anterior alguem se referiu aos 50 anos de socialismo em Cuba. Prezados amigos, antes de abrir a boca (o que equivale a digitar algo na internet para que todos possam lêr) seria recomendável uma breve pesquisa acerca daquilo que estamos escrevendo. Desta forma recomendo à autora do comentário anterior a pesquisar o verdadeiro significado do Modo de Produção chamado Socialismo. Uma breve pesquisa acerca deste modo de produção nos leva a concluir que a ilha de Cuba jamais operacionalizou esta “maneira de rodar a econômia”.
    Por outro lado, se a opinião daqueles que vivem o dia-a-dia de Cuba de pouco vale então o que vale? Teria valor a opinião dos intelectuais que não arredão o pé dos meios universitários?
    A verdade é que o mundo se encontra em acelerado processo de mudanças ao passo que a cabeça de alguns parou na década de 70.
    Tomei conhecimento deste livro por meio de um programa na TV Camara e, certamente, vou lê-lo.
    ce-gomes1973@bol.com.br

  5. Marco Antonio em

    Meu caro, ainda não li seu livro mas acredito em você porque creio que a primeira impressão é a que fica.
    Acreditar que com a revolução Cuba se transformou num paraiso é como acreditar em Papai Noel.
    Um regime totalitário, onde um pseudo líder se mantem no poder com mão de ferro, eliminando e calando aqueles que não concordam com a situação só deve ser admirado pelos esquerdinhas, raivosos e ultrapassados, que não sofreram as perseguições de um regime que não deu certo no resto do mundo.
    Se aquilo fosse um paraiso, ninguém abandonaria a ilha a nado, enfrentado tubarões e tempestades, para chegar a Miami.

  6. Dalton Edson Messa em

    Assisti a entrevista do autor pela TV Câmara. Pareceu-me convincente, embora parece-me que seja pequena a amostragem que teve durante sua pemanência. Antes de emitir qualquer opinião quero adquirir e ler este livro. O fato de permanentes tentativas de abano da ilha deve ser considerado.
    Favor informar onde adquirir o livro.

  7. Andre Cavalcante em

    Alguem precisa passar mais de 30 dias num campo de concentracao judeu pra saber que se tratava do inferno na terra? Dizer que trinta dias vivendo no meio de cubanos como um cubano comum nao sao suficientes pra perceber o quanto sobre esse povo miseravel ha mais de 50 anos, ou e o cumulo da inocencia ou muita falta de carater e amor ao proximo. Nos dias de hoje nao faltam mais informacoes sobre o regime totalitario sangrento implantado pelos comunitas na ilha-prisao. Quem o defende nao pode ser considerado nada diferente de um mal carater.

  8. Espero conseguir o livro em breve.
    E para os que consideram que o livro não vale porque a amostragem é pequena. Eu até concordo que a amostragem seja pequena, porém ela é imensamente maior do que a pura fé socialista que alguns tem de que Cuba seja uma “maravilha” só porque é governada pelos ditadores que vocês apoiam.

  9. Samarone Lima,
    Também assisti sua entrevista na TV Câmara. Não há razão para duvidar e contrapor à sua impressão de Cuba atual. É a confirmação do que dela dizem os próprios cubanos, sofrendo no dia-a-dia as agruras do racionamento de tudo incluindo da liberdade. Aos que interessarem, sugiro a leitura de ” De Cuba – com arinho” de Yoani Sánchez, blogueira de GENERACION Y, para confirmar o fracasso encoberto.
    Obséquio informar onde comprar o seu livro. Grato.

  10. Srs.
    É claro que é fácil para muitos defenderem um dos ultimos redultos de um sistema fálido e opressor. A maioria dos que defendem e forma de vida cubana, nunca lá colocaram os pés, e firmam-se em afirmações de doutores que por lá estiveram, que não têm o menor interesse em conhecer a sofreguidão do povo de Cuba. Claro que não devemos entender o relato do autor como a irrefutável verdade dos fatos, mas Ele esteve em meio ao povo, sem compromisso, sem rabo preso, observendo e vendo como vive e ouvindo a opinião do povo. Como povo, e residente aqui no semi-árido do nordeste brasileiro, acho que quem se dispõe a observação, principalmente se inserindo no meio do povo, tem condições de revelar verdades mais puras e sem mascaramentos. Realmente o socialismo conforme diz o Senador Cristovám Buarque, sucumbiu à própria ignorância em não aceitar a modernidade como um avanço da humanidade, e por manter-se na ignómia premissa que era infalivel e suficiente para resolver todos os problemas do mundo. Onde existem esquerditas felizes?…

  11. maria eugenia comini cesar em

    Nao tive a oportunidade de ler o livro uma vez que nao o estou encontrando nas livrarias. Gostaria de saber onde posso adquiri-lo porque tenho grande curiosidade pelo tema e nao penso que o olhar do escritor possa ser criticado ate mesmo por pessoas que nao se dignaram a ler a sua obra. Voces poderiam me informar onde o encontro?

    Desde ja agradeco, Maria Eugenia Comini Cesar

  12. Sérgio Quixadá em

    Pelo amor de Deus. Em trinta dias você tem como ter um retrato razoável até mesmo de uma complexa megalópole do primeiro mundo, quanto mais de uma cidade em que falta tudo e convivendo com as pessoas do local. Na boa, gente. Eu sempre me considerei de esquerda, mas chega a ser sádico e cínico fazer romantismo político com o sofrimento dos outros. Cuba está acabada. Um professor ganha menos do que uma família pobre brasileira gasta em uma lanchonte no fim de semana (ultimamente fico feliz de ver esse acesso em nossa periferia). Se a educação na ilha é boa, porque não existem eleições livres? Vocês sabiam que antes da revolução Cuba já tinha índices de saúde do primeiro mundo? Deixem o povo cubano escolher o seu destino! Eu combati a ditadura no Brasil e vou apoiar a de Cuba? Os caras que se perpetuaram no poder por lá, morrem de medo do fim do embargo comercial, pois isso mostraria o fracasso daquela ditadura caduca. O pobre do povo cubano é que paga pela insanidade daqueles malucos que, em plena Guerra Fria foram instalar mísseis nucleares apontando para os E.U.A.
    FIDEL CASTRO É O CAVALEIRO QUE FOI SALVAR A DONZELA E SE CASOU COM O DRAGÃO. Má está na hora dele ir se encontrar com Pol Pot, Stalin, Hitler, Pinochet e outros tiranos.

  13. Mario Muniz em

    Sinto muito, mas da forma que vamos, com os países amigos que temos, jajá não será diferente para nos.

    Sinto muito e já li o livro, não me conformo em não poder crescer na vida limitado, a ser o que o governo quer, não me conformo e trabalhar e não ter nada, não me conformaria em viver na desgraça satisfeito com 200g de carne por mês.

    Não me conformo não ter amigos marginais é meu pais ser amigo de quem reprime, tira a liberdade de opinião, critica, prende e mata!

    Eu neste comentario disse 8 vezes a palavra “não” a viver em cuba.

  14. Cecilia Ferreira em

    Sr. Fernando Mousinho,

    O seu sonho comunista, infelizmente utópico, não pode depor contra a integridade da infância cubana, que, depois dos sete anos, perde os dentes porque deixa de receber o leite que o governo oferece de graça – e os pais não têm como comprar.
    O povo cubano não tem como compartilhar da sua admiração por Fidel.
    Enquanto vc defende utopias porque não vive lá, outros, lúcidos, que também não vivem, choram porque são sensíveis à dor alheia, não a governos prepotentes e egocêntricos.

  15. Mario Luiz Crespo Pereira em

    É obvio que aquele que é socialista e ideológicamente engajado em defender a Ilha da Fantasia, não vai gostar do livro! Aliás eles nem admitem discutir Cuba e a revolução! Na verdade lá não existe democracia, tem uma elite que está no poder desde 1959 sem trocar de liderança que continua com a disnatia dos “Castros”! É, junto com a Coréia do Norte, um dos regimes mais fechados do mundo! Foi durante a existência da ex-URSS seu satélite e recebeu desta algo como mais de 100 bilhões de U$ dólares, agora sua economia está estagnada! Seria bom fazermos uma comparação com Twian desde 1959 até agora.
    Façam isso.
    Abraços.

  16. Para quem não concorda com o simples texto acima, por considerar 30 dias pouco para sentir a destruição que a tal revolução causou em Cuba, mas considerar ao livro de Fernando de Moraes correto que ficou apenas 15 dias por lá, é de fato ter como DOGMA que o socialismo pode resolver os problemas das relações humanas.
    Ou seja ou você proessa minha “relião” ou você é pagão!!!
    Comunistas, há mais coisas neste planeta que definições ou verdades absolutas, nenhuma ciência JAMAIS dirá que qualquer conclusão sua seja definitiva ou encerre uma verdade absoluta, só as religiãoes fazem isto, e os comunistas, claro!

  17. nao li o livro ainda, mas pretendo ler.
    acho q numa viagem de 30 dias da para ter uma ideia bastante clara do que é um pais ou uma cidade, ainda mais se vç se dispuser a conversar com os habitantes em busca de informaçoes.
    no caso de Cuba, nao precisa nem ir lá, basta saber q se pudessem a maioria esmagadora da populaçao deixaria a ilha e iria morar em outro pais, acho q até para Venezuela eles iriam.

  18. A propósito de todas as conquistas e realizações revolucionárias não esqueçamos que já se vão 50 anos. Não sabemos nada sobre os políticos cubanos pretendentes a ocupar cargos públicos. Será que nenhum estudante de Direito (como Fidel) aspira disputar a Presidência do País? Ou um operário que se destaque politicamente? E as Centrais Sindicais? (Aliás, por aqui também andam muito quietas, satisfeitas…)
    Um País que se diz tão resolvido em educação ainda tem tantos “marginais presos”? Estranho, muito estranho!
    Devemos lembrar sempre o passado para abominarmos as ditaduras.

  19. Luiz Fernando Mafra em

    Ser revolucionário na juventude, mostra que a pessoa tem coração, mas continuar pensando assim na maturidade, mostra que é burra!

  20. Há que ser cubano para se entender o que é ser cubano. Assisti à entrevista de Samarone Lima na Globo News e fiquei gratamente surpreso ao ver, que em tão curto espaço de tempo, ele pôde perceber a nossa verdadeira realidade. Cuba, na verdade, são duas Cubas: a dos cubanos que moram lá, cheia de carências e limitações e a dos turistas, proibida para os nacionais, mas com todo o conforto que existe no mundo capitalista. Após 50 anos de “REVOLUÇÃO” o resultado que temos são privações, corrupção nos serviços públicos, decadência e uma total e absurda falta de respeito aos direitos humanos.
    E, como já perceberam, não vivo mais em Cuba. Senão, não poderia estar usando a internet e manifestando o meu ponto de vista, também negado aos cubanos da ilha.

  21. Tercio Rangel em

    Mentir parece ser uma coisa forte no Samarone . Isso me faz duvidar de suas afirmações no livro . Eu assisti a entrevista e ouvi nitidamente quando foi afirmado que o autor havia passado UM ANO morando em Cuba , agora descubro que foram meros 30 dias … Quem mente uma vez …

  22. Tercio Rangel em

    O Sergio Quixadá citou vários “tiranos” e se esqueceu de citar os brasileiros : Costa e Silva , Garrastaszu ,Geisel , Figueiredo , porque será ? Acho que tem uma explicação : ato falho !!! Eu tenho a impressão que o capitalismo não passou por uma gravíssima crise – segundo alguns ainda está em sério risco de se agravar a situação – e foi tudo mera invencionice socialista . O ciclo de crises está aí mais do que demonstrado , Marx já dizia isso há mais de cem anos . É claro que as reservas dos paises capitalistas centrais ainda é grande : durante séculos exploraram e acumularam . Vão durar por mais quanto tempo ???. Estão construindo as cordas com as quais irão se enforcar …

  23. Tercio Rangel em

    Cecília Ferreira

    Imagino que no Brasil as crianças estão com os dentes em perfeirtas condições , mas talvez vc se refira às crianças da elite , pois não ? E olha que o Brasil é um pais onde “não existe” favelas , fome, criminalidade , desemprego , mas o país é uma das maiores economias do mundo e Capitalista …

  24. Teresinha Mapurunga em

    SAMARONE, ASISTI SUA ENTREVISTA NA GLOBO NEWS. E MUITOS DOS MEUS AMIGOS. UNS JOVENS DA FACUDADE DE DIREITO FEDERAL ESTÃO COM SEU LIVRO DE MÃO EM MÃO PORQUE AQUI Ñ CHEGA. E ESTÃO FACINADOS E PELOS OS OUTROS LIVROS TAMBÉM ESTUÁRIO E CLAMOR. PRECISAMOS TAMBÉM ENCONTRAR O ZÉ. LI OS COMENTÁRIOS ACIMA. CADA UM PENSA O QUE QUER, RECEBA EM BREVE MINHA MISSIVA.
    BJOSSSSSS TIA TERESA

  25. Orlando Lima em

    Acho que o autor foi bem realista na apuração das informações fazendo a pedagogia da presença, quebrando a ingenuidade das pessoas que tomam Cuba como referencia social.Pessoas como eu

  26. Não entendo como ainda existem pessoas escalrecidas no Brasil que fecham os olhos para a realidade horrivel do povo cubano e tecem elógios ao Regime dos Castro, os argumentos são tão frágeis ….” a Educação para todos…. bla bla bla….”, de que adianta educação se as pessoas não podem usa-lá em beneficio próprio, se não têm sequer a liberdade de expressão, se tem que comer doses de ração divididas pelo governo etc…( não preciso lembrar as mazelas do povo de lá né ,todos qui já tem conhecimento disso), e os assassinatos em nome do regime………..o que dizer a respeito?
    gostaria que os defensores tupiniquins do regime que se manifessem……….. não em relação ao livro(ele é só mais uma visão realista de Cuba , mesmo a partir de uma visita de 30 dias do jornalista) , mas sim em relação a ditadura instalada na ilha, será que ainda existem defensores de ditadura por aqui?

    credo!!!!!
    vi algumas criticas feroses contra o livro e não entendo o moivo da

  27. Lí o livro de uma vez só, depois que comecei não consegui parar mais…fantastico, muito bom mesmo!!!

    Sei que foi lançado em varios lugares do nordeste…aqui em Sampa vai ter algum debate, mesa redonda, etc!?

    Abraço

    Daniel

  28. Por que razão 30.000 cubanos fogem do “paraíso”todos os anos? Por que razão os alemaes orientais arriscavam a propria vida para passar para o lado ocidental? Por que nao ocorreu o inverso? Por que razao os romenos e albaneses faziam tudo para escapar do “paraíso”deles?
    Acho que eles eram todos loucos e saudáveis mentalmente sao os que adoram Fidel Castro, Hugo Chavez, Erich Honecker, Nicolae Ceausescu, Pol Pot, Stalin e vários outros humanistas do mesmo calibre.

  29. Samarone, li seu livro (que me foi passado pela mão do Gustavo Castro). Parabéns cara, foi a melhor reportagem que li sobre Cuba. Literária, humana, elucidativa, obrigado por compartilhar essa experiência emocionante que foi sua viagem. Abraços.

  30. Bem, me parece que o livro está ajudando a trocarmos umas boas idéias sobre a situação atual de Cuba, o que me parece muito interessante.
    Um abraço,
    Samarone

  31. Pingback: Livros Reportagem: « capotandoasanguefrio

  32. Bom, não li o livro mas acredito que não seja nada de outro mundo, que nos faça chocar e que só acontece lá em Cuba. Sugiro ao autor do livro, passar 1 mês no sertão Nordestino. Não vai ter diferença das duas Cubas. Existem dois Brasís, dois EUA, duas Chinas, duas Africas do Sul enfim, existe o rico e o pobre. O capitalismo é tão melhor assim que o socialismo cubano? Aí eu acho que é mais uma questao de ponto de vista.

  33. Gosto de ler tudo que samarone escreve, pois a escrita retrata o interior da pessoa e acho que ele percebe coisas que só pessoas especiais como ele são capazes de perceber.sou fã desse escritor.

  34. Llegue a Brasil hace 3 meses acabo de Leer su Libro y es sierto lo que hablas en tu Libro y RESPETO tu opinion pero es una pena que solo viste el lado malo del pueblo y con el sucio Cinismo que en ocasiones escribes yo siento pena por ti porque este cubano esta viviendo la realidad de Brasil y conociendo sus ciudades como Rio Janeiro y pienso que lo primero que devias hacer es un Libro sobre tu pais,de la violencia que aqui se vive de lugares que no tienen Luz electrica en Cuba falta la electicidad pero hasta en las montañas llega el fluido electrico,porque no hablas de la Educacion en Cuba que es gratuita y para todo el pueblo la mejor del mundo,porque no hablas que lasa carseles de Cuba no son ni remtamente parecidas a la de tu pais donde los Presos y los traficantes de Drogas son los dueños.Porque no hablas que la salud de Cuba no sera la mejor del mundo pero todos tienen derecho a ella y no se deja morir a nadie por que tiene que tener un seguro y si no paga se muere aqui el que no tiene dinero y aun con seguro mueren en los Hospitales por falta de atencion ,porque no hablas que en Cuba los presos tienen derecho a la Educacion,que toda la EDUCACION en CUBA es igual para todos aqui los pobres aun lado clase media a otro y los Ricos en otro lugar,porque no hablas de la Educacion de los jovenes Cubanos porque no hablas de la livertad que se respira en las calles tu mismo lo dices en el libro desde donde ivas caminando y nunca fuiste asaltado,porque no hblas de los crimenes que se cometen en tu pais y a nadie le importa,ERES UN SUPERFICIAL que te deslumbras por la primera imprecion que ves,cualquiera piensa que los cubanos viven en una extrema pobreza y no es Haci CUBA tiene cosas maravillosas k no la tiene ningun pais en el mundo ,porque no escribes de la hospitalidad de los CUBANOS,en fin eres un Pobre y varato escritor como muchos que ya conosco ,cuando pienses en este libro nada bueno puede generar en tus neuronas si no vanalidad y porque no hasta ENVIDIA de un pais que a pesar de tener poco tiene mucho que ofrecer ahora dime que vas hacer para que ese LINDO PAIS SEA MEJOR QUE VAS HACER SIENTO DOLOR EN MI ESTOMAGO POR TI Y PENA A LA VES,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,

  35. Llegue a Brasil hace 3 meses acabo de Leer su Libro y es sierto lo que hablas en tu Libro y RESPETO tu opinion pero es una pena que solo viste el lado malo del pueblo y con el sucio Cinismo que en ocasiones escribes yo siento pena por ti porque este cubano esta viviendo la realidad de Brasil y conociendo sus ciudades como Rio Janeiro y pienso que lo primero que devias hacer es un Libro sobre tu pais,de la violencia que aqui se vive de lugares que no tienen Luz electrica en Cuba falta la electicidad pero hasta en las montañas llega el fluido electrico,porque no hablas de la Educacion en Cuba que es gratuita y para todo el pueblo la mejor del mundo,porque no hablas que lasa carseles de Cuba no son ni remtamente parecidas a la de tu pais donde los Presos y los traficantes de Drogas son los dueños.Porque no hablas que la salud de Cuba no sera la mejor del mundo pero todos tienen derecho a ella y no se deja morir a nadie, aqui tienes que tener un seguro y si no paga te muere aqui el que no tiene dinero y aun con seguro mueren en los Hospitales por falta de atencion ,porque no hablas que en Cuba los presos tienen derecho a la Educacion,que toda la EDUCACION en CUBA es igual para todos aqui los pobres aun lado clase media a otro y los Ricos en otro lugar,porque no hablas de la Educacion de los jovenes Cubanos porque no hablas de la livertad que se respira en las calles tu mismo lo dices en el libro desde donde ivas caminando y nunca fuiste asaltado,porque no hblas de los crimenes que se cometen en tu pais y a nadie le importa,ERES UN SUPERFICIAL que te deslumbras por la primera imprecion que ves,cualquiera piensa que los cubanos viven en una extrema pobreza y no es Haci CUBA tiene cosas maravillosas k no la tiene ningun pais en el mundo ,porque no escribes de la hospitalidad de los CUBANOS,en fin eres un Pobre y varato escritor como muchos que ya conosco ,cuando pienses en este libro nada bueno puede generar en tus neuronas si no vanalidad y porque no hasta ENVIDIA de un pais que a pesar de tener poco tiene mucho que ofrecer ahora dime que vas hacer para que ese LINDO PAIS SEA MEJOR QUE VAS HACER SIENTO DOLOR EN MI ESTOMAGO POR TI Y PENA A LA VES,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,

  36. Mitlichel Dionisio em

    Parabéns!!!
    Acredito que você está realizado com a publicação do seu livro e muito mais com a repercussão que ele causou. Você deu ao pavo de CUBA a oportunidade de expressar seus sentimentos pensamentos em relação ao governo isso é jornalismo relata e reivindicar através dos meios de comunicação.

  37. Samarone Lima DEVES SENTIR PENA ,VERGUENZA HABLAR MAL DE UN PAÍS DONDE BLANCOS,NEGROS,RICOS POBRES VAN JUNTOS A LAS AULAS SIN DISTINCIÓN DE RAZA O CLASE,DEVES SENTIR VERGUENZA POR TU PAÍS UNO DE LOS PAISES MÁS RICO DEL MUNDU,EXISTE LA POBREZA VIOLENCIA JUVENIL Y ROBO AL GOVIERNO A LAS DOS MANOS CORRUCCIÓN,DROGA DONDE NO SE RESPETÁN LOS DERECHOS HUMANOS A QUE TU LE LLAMAS ESTO,,,,,, LIVERTAD…..DONDE TIENES LA MUERTE EN LA PUERTA DE TÚ CASA,EN LA TELEVICIÓN SOLO SE HABLA DE ROBO MUERTES.ASESINATOS,DONDE MUEREN MÁS 150 AL MES SOLO EN SAU PAULO,TODOS LOS QUE COMENTAN BARBARIDADES DE CUBA LOS INVITO A QUE LA VISITEN PRIMERO Y DESPUÉS COMENTEN,UN PAÍS POBRE PERO SIN VIOLENCIA,SIN ANALFAVETISMO,DONDE NADIE MUERE POR FALTA DE ATENCIÓN MEDICA,DONDE PUEDES SALIR A CUALQUIER HORA DEL DIA O NOCHE Y NO ERES ASALTADO,DONDE LA JUVENTUD ES FELIZ Y TIENEN DERECHO A LOS ESTUDIO,AHORA QUE CONOSCO BRASIL CUBA ES UNA MARAVILLA MUNDIAL COMO ESA CUBA NO HAY DOS EN EL MUNDO.AHORA ESCRIBE UN LIBRO SOBRE LAS VERDADES DE TÚ PAÍS Y VAMOS A VER CUAL VIVE MEJOR E DICHO Y CASO CERRADO……….

  38. Samarome Lima a ti y todos los que hablan lixo sobre Cuba primero miren su país,VIOLENCIA,ROBO,ASALTOS,MUERTES,DROGAS CORRUCCIÓN EN EL GOVIERNO DE BILIONES DE LAVAJE DE DINERO,INSEGURIDAD,ESO ES LIVERTAD? CUBA NO TIENE NADA DE ESO Y TÚ LO SAVES LIMA CUBA ES UN PAÍS MARAVILLOZO DONDE SE VIVE CON TRANQUILIDAD UNO DE LOS POCO EN EL MUNDO DONDE SE PUEDE VIVIR FELIZMENTE….QUE PENA NO ESCRIBAS LO QUE ESTÁ VIVIENDO TÚ PAÍS……….

  39. SALUDOS A TODOS LOS CUBANOS QUE DEJARON SUS COMENTÁRIOS! SOY PERIODISTA Y EN 2010 HICE MI PRIMER VIAJE INTERNACIONAL, NUNCA HABIA SALIDO DE BRASIL. ELEGI CUBA, HABANA, PORQUE ERA PARA MI LA REALIZACION DE UN ANTIGUO SUENO. OIR, SENTIR, VER CON MIS PROPRIOS SENTIDOS EL COTIDIANO DE UN PUEBLO Y DE UN PAIS QUE SIEMPRE FUE ATACADO CRUELMENTE DURANTE DECADAS.
    TENGO MUCHAS GANAS DE DIVULGAR MAS INFORMACIONES SOBRE CUBA. POR FAVOR, SI PUEDENM PASENME SUS CONTACTOS. ESTOY VOLVENDO AHORA, EN FREBRERO DE 2013, A LA HABANA.
    GRACIAS Y SALUDOS FRATERNOS,
    CAROLINA- carolinapaulo@uol.com.br

  40. Neymar Trinidades em

    Recientemente viaje a Cuba Ame a ese País aquellos que no lo conocen visitenlo primero y después comenten,un país pobre sin analfavetos sin niños en las calles,sin violencia,sin drogas,donde puedes salir sin temor a cualquier hora del dia y de la noche,una juventud increible educada con principios al respeto humano,no hay violencia juvenil como aqui en mi país no se ve en el jornal televisivo lo que aqui podemos ver violencia muertes y más violencia…muchos paises del mundo deverian tomar de ejemplo a Cuba esa Isla llena de encantos maravillosos CUBA ES AMOR UN PARAISO SIN VIOLENCIA VISITENLO NO SE ARREPENTIRÁN……………..

  41. Pingback: Clamor - Samarone Lima - vacatussa

  42. Pingback: Dossiê: Samarone Lima - vacatussa

  43. Pingback: Tempo de Vidro e A praça azul - Samarone Lima - vacatussa

Comente!