As Cobras: antologia definitiva – Luis Fernando Verissimo

0

Pescoços pensantes e cheios de veneno

O nome de Luis Fernando Verissimo se notabilizou na literatura brasileira pela capacidade de traduzir o espírito da sociedade brasileira em suas crônicas, pelas tramas inteligentes dos seus romances e por seus personagens marcantes, como a Velhinha da Taubaté, o detetive Ed Mort e o Analista de Bagé. Um desempenho que terminou ofuscando outro grande talento de Verissimo, o de quadrinista.

Parte desse trabalho agora é resgatado com a publicação do livro As cobras: antologia definitiva. O volume, que sai pela Objetiva, reúne em suas 198 páginas 470 tirinhas. Elas foram escolhidas dentro de um universo superior a 2 mil, desenhado entre a década de 1970 e 1997. Dividido em 10 partes, o livro agrupa as tirinhas de acordo com o tema.

Tem um capítulo dedicado às reflexões existencialistas da dupla de cobras diante das estrelas, outro destinado ao futebol, um sobre à relação com Deus e outro com o poder. Também há espaço para seções focadas na presença de personagens, como a dos filhotes e a dos outros bichos, e no cenário, como a temporada dos répteis na praia e no espaço, interagindo com alienígenas. Há ainda capítulos destinados às séries históricas e literárias. Na primeira, Verissimo recria a evolução do mundo em apenas 19 tiras e, na segunda, promove releituras de clássicos da literatura. A obra-prima do pernambucano Gilberto Freyre, Casa Grande & Senzala, aparece numa divertida combinação com o filme Casablanca.

Como boa parte dos desenhos foram desenvolvidos durante a ditadura militar, é possível perceber as marcas de sua época, por conta da escolha dos temas e das referências. Mas nem por isso as ironias de Verissimo ficaram enganchadas no tempo. Quando aborda a política, por exemplo, o autor tem a preocupação não de investir em detalhes que se perderam na memória, ele busca a essência dos fatos e de lá nos presenteia com reflexões sobre a corrupção, questionamentos em torno das pesquisas de opinião e o poder do marketing. Problemas que permanecem tão atuais que nem o personagem Dudu, o alarmista seria capaz de prever.

Ainda que o traço das tiras seja simplório, com o próprio autor reconhecendo que escolheu as cobras como personagens por se tratarem apenas de pescoço, o raciocínio rápido do cronista prevalece. Verissimo desafia os limites do desenho a partir do poder das palavras. Muitas das tiras são criadas a partir de poucas variações dos desenhos, onde cenários e personagens quase não se alteram. Com base na mesma disposição de figuras, o autor consegue extrair diversas variantes, numa aula de como o humor pode surgir através do recurso da repetição.

Thiago Corrêa
lido em Out. de 2010
escrito em 27.12.2010

: : FICHA TÉCNICA : :

As cobras: antologia definitiva
Luis Fernando Verissimo
Objetiva
1a. edição, 2010
198 páginas

Compartilhe

Sobre o autor

Jornalista e mestre em Teoria da Literatura pela UFPE, onde desenvolveu pesquisa sobre narrativa em literatura eletrônica. É um dos fundadores do Vacatussa, integrou a equipe do programa de rádio Café Colombo, passou pelas redações dos jornais Folha de Pernambuco e Diario de Pernambuco.

Comente!