Novos passos da Fliporto

0

A Festa Literária Internacional de Pernambuco (Fliporto) chega à 10ª edição com uma novidade: o evento apresentará uma parte significativa da programação no complexo São Bento – onde passam a acontecer os debates com escritores e as exibições de cinema. “Com isso, prestigiamos um equipamento de Olinda, além de reduzir o orçamento”, explica Antônio Campos, curador e membro do conselho cultural da Fliporto (a Festa contou com R$ 1,1 milhão de investimentos captados através de Lei Rouanet; ano passado o orçamento chegou a R$ 5 milhões). O tema do evento, que acontece entre os dias 13 e 16 de novembro, em Olinda, é Literatura é coisa de cinema; todas as mesas são gratuitas.

Neste ano, a Fliporto presta homenagem a três escritores: Ariano Suassuna (“Ele foi convidado ainda em vida. Aceitou e disse que faria uma aula-espetáculo na abertura”, revela Campos), na programação principal; Raimundo Carrero – que lançará dois livros: o folheto-romance O Bordado, A Pantera Negra, escrito em homenagem à Suassuna, e o romance O senhor agora vai mudar de corpo, em que o autor narra a superação de um AVC sofrido em 2010 -, na Feira do Livro (evento integrado à Festa, na Praça do Carmo, coordenado pela Andelivros, que pela primeira vez participa da produção executiva do evento, com o presidente José Alventino); e Adriana Falcão, na parte infantil do evento, a Fliporto Galerinha.

A abertura será uma conversa entre a autora Lya Luft e Vicente de Britto Pereira, a partir do tema O valor da vida, na Igreja de São Bento. “É um assunto que interessa a todas as pessoas”, destaca Mário Helio Gomes, coordenador literário da Fliporto. O encerramento será outra parceria: Raimundo Carrero e o músico Antônio José Madureira. A obra de Carrero será debatida em um painel especial: A dimensão do humano em Raimundo Carrero: família, religião e loucura.

A programação principal inclui debates sobre um dos setores que mais crescem do mercado editorial: a literatura para jovens-adultos. “É uma literatura que trata de relacionamentos pessoais, emoções e transbordamento, mas também da construção e reconstrução de mundos virtuais”, destaca Mário. Debatem, na mesa Como seduzir o leitor e mantê-lo fiel, duas autoras que são fenômenos de vendas: a paulista Carina Rissi (de Encontrada) e a norte-americana Margaret Stohl (Dezesseis luas).

Diferentes formas de entender a ficção também pauta esta edição da Fliporto. O quadrinista Lourenço Mutarelli, o autor angolano Ondjaki e o escritor Sidney Rocha conversam na mesa Roteiro, narrativas e imagens: as técnicas do cinema e da literatura – aproximações e distanciamentos. Adriana Falcão e Bráulio Tavares debatem a adaptação de Ariano no cinema; Bráulio, especialista em ficção científica, conversa ainda com a coreana Hwang Sun-Mi, na mesa Escrever com alegria: a imaginação e a fantasia na literatura.

A Fliporto mantém duas atrações em sua programação: o CineFliporto e a programação infantil (agora chamada de Fliporto Galera e Galerinha), com coordenação da produtora Andréa Mota. O diálogo entre diferentes expressões ocorre na mesa Cinema e literatura: casamento suspeitoso, união estável ou de conveniência?, com o cineasta Cláudio Assis, Xico Sá e Hilton Lacerda – trio que atualmente trabalha na adaptação do livro Big Jato, de Xico. “Cláudio é um dos mais vigorosos diretores de ficção, literatura e cinema”, opina Mario.

Saiba mais

AULA – Romero de Andrade Lima, sobrinho de Ariano Suassuna, ministra a aula-espetáculo O trovador Cariri. O projeto será inaugurado na Fliporto e, depois, seguirá intinerário pelo Brasil.

HISTÓRIA – Para celebrar seus 10 anos, a Fliporto programa lançamento de um livro e um DVD, que repassam a trajetória do evento – desde os primeiros anos, em Porto de Galinhas, até a edição anterior, que levou mais de 100 mil pessoas ao Sítio Histórico de Olinda.

Compartilhe

Sobre o autor

Jornalista. Escreve sobre literatura e cinema no caderno de cultura do jornal Folha de Pernambuco desde 2009.

Comente!