O clube dos anjos – Luis Fernando Verissimo

5

Amigos de fome

Quem acompanha as crônicas de Luis Fernando Verissimo nos jornais diários, entende porque ele ficou responsável pela gula na coleção Plenos Pecados da editora Objetiva. Apesar de ter confessado que só entra na cozinha para abrir a geladeira, Verissimo mostra que é íntimo da boa culinária com suas crônicas sobre vinhos, aventuras em restaurantes mundo a fora e o prazer de irromper uma gema de ovo frito em cima do arroz.

Com base nessa vivência, ele escreveu O Clube dos Anjos, onde conta a história de um grupo de dez amigos que se reuniam no bar do Alberi para comer picadinho de carne na adolescência e foram aprimorando o paladar. De reuniões semanais nos restaurantes mais famosos da cidade, eles passaram a jantares mensais em suas casas, onde a cada mês, um deles ficava responsável pela comida e pelos vinhos. O nome do grupo, porém, continuou o mesmo da época do Alberi: Clube do Picadinho.

Comer, para eles, não era mais uma questão de necessidade, mas um motivo para celebração. Membros das famílias mais conhecidas de Porto Alegre, eles faziam questão de mostrar ao mundo o poder que suas riquezas proporcionavam, comendo e bebendo do que existia de melhor. Eram jovens felizes pela amizade que tinham, cheios de sonhos e um apetite capaz de engolir o mundo.

Passados vinte e dois anos, o Clube do Picadinho se transformara num bando de fracassados que destruíram suas fortunas, casamentos e futuros junto com toda a comida que devoraram nesse tempo. Tudo piorara após a morte do Ramos, o responsável pelo refinamento do paladar do grupo e pelo tom cerimonioso que as reuniões passaram a ter, com direito a brasão e discursos na hora do charuto.

Nos dois anos após o falecimento do Ramos, o naufrágio do Clube só aumentou, chegando até em briga entre as mulheres no último jantar. A 22a temporada estava destinada ao fracasso, mas foi salva graças ao encontro do narrador Daniel com o misterioso Lucídio, membro de uma sociedade secreta que se reúne todo ano no Japão para provar o fugu, um peixe que se não for bem preparado causa a morte de quem come em minutos.

A conversa de Lucídio de como a iminência de perder a vida apura o paladar é o suficiente para chamar a atenção de Daniel, viciado em histórias estranhas e criador das personagens Xifópagas Lésbicas. Depois de provar a omelete preparada pelo novo amigo, ele aceita que Lucídio prepare o próximo jantar. Com simples canapés, o Clube do Picadinho renasce, transformando aquele bando de ressentidos, nos jovens cheio de vida novamente. Tudo teria sido uma maravilha, não fosse a notícia no dia seguinte aos jantares da morte de um membro. Um a um.

O romance é construído em cima de um tripé de tensão que no final se encaixam. O mistério que envolve as mortes, um ponto não esclarecido sobre a vida do Ramos e a história da amizade entre os integrantes do Clube. A estrutura narrativa se assemelha aos outros livros de Verissimo, com diálogos, lembranças, histórias dentro da história, referências bíblicas e shakespearianas, cacoetes do narrador, presença de intertextos, estratégias do romance policial e passagens metalingüísticas que explicam as opções feitas pelo autor.

Se são os mistérios que nos impulsionam para o final da trama em busca de uma solução, é o carinho de Daniel com seus amigos que dá alma ao livro. Através dele e dos maravilhosos discursos do Ramos, Verissimo consegue captar a delicadeza que existe na amizade entre jovens, a felicidade com cheiro de irresponsabilidade por apenas estarem juntos, resgatando as brincadeiras e ironias construídas ao longo dos anos e a lealdade só possível entre amigos de infância.

Thiago Corrêa
lido em Nov. de 2007
escrito em 19.11.2007

: : TRECHO : :
“Dizer que um rosto se ilumina é uma convenção literária. Mas o rosto de João se iluminara. O rosto mudara de cor com o prazer. Hoje, quando penso naquele primeiro jantar e nas suas conseqüências, é daquele instante que me lembro com mais nitidez. Me emocionei com a emoção do João, e isso me emociona agora. Pela primeira vez em muitos anos eu recapturara aquele sentimento, de prazer no prazer de um amigo, e pensei: ainda podemos recorrer do tempo, este grupo ainda pode ser salvo, eu ainda posso ser salvo.” (pp. 38-39).

: : FICHA TÉCNICA : :
O Clube dos Anjos
Luis Fernando Verissimo
Coleção Plenos Pecados – Gula
Objetiva
1a. edição, 1998
130 páginas

: : LEIA TAMBÉM : :
O Jardim do Diabo – Luis Fernando Verissimo
Borges e os orangotangos eternos – Luis Fernando Verissimo
O Opositor – Luis Fernando Verissimo
A Décima Segunda Noite – Luis Fernando Verissimo
A Eterna Privação do Zagueiro Absoluto – Luis Fernando Verissimo

Compartilhe

Sobre o autor

Jornalista e mestre em Teoria da Literatura pela UFPE, onde desenvolveu pesquisa sobre narrativa em literatura eletrônica. É um dos fundadores do Vacatussa, integrou a equipe do programa de rádio Café Colombo, passou pelas redações dos jornais Folha de Pernambuco e Diario de Pernambuco.

5 Comentários

  1. Pingback: Os espiões - Luis Fernando Verissimo - vacatussa

  2. Eu estou lendo este livro para um trabalho de escola.
    Achei o livro super interessante,tanto que quando comecei a ler não conseguia parar.
    Estou muito curiosa para saber o final dessa trama!
    O que será que acontece com Lucídio???
    O autor Daniel morre???
    É só terminando de ler pra saber.

Comente!