Ratos ao mar – Marcelo Mário de Melo

0

Nem sempre o crime e a corja predominam

e um dia os ratos terão seu lugar.

Sonho com isto e imagino a cena

que se desenha entre céu e mar.

 

Depois de caça cerco e isolamento

a vil quadrilha então é derrotada

e expulsa da viagem clandestina

desfeita a teia em que imperava.

 

É o trunfo da justiça enfim.

Os passageiros no navio potente

vencendo as ondas a distância o tempo

olhando os ratos náufragos à frente.

 

Eles navegam em barco de papel

cumprindo pena de maior tormento:

morrem de fome pra manter o barco

ou fazem dele o seu alimento?

Leugim é o heterônimo da mão direita de Miguel Falcão. Nasceu em Timbaúba-PE, em 1963. É cartunista, ilustrador, quadrinista, caricaturista e chargista. Começou a trabalhar profissionalmente com ilustração em meados da década de 70. É fundador da Associação dos Cartunistas de Pernambuco (Acape). Em 2005, desenhou para a Editora Massangana, a versão para quadrinhos do poema Morte e vida severina, de João Cabral de Melo Neto.

Marcelo Mário de Melo nasceu em Caruaru e veio para o Recife aos nove anos. É jornalista, escreve poemas, textos de humor, histórias infantis, minicontos e notas críticas. Publicou diversos livros, participa de antologias de poesia e de texto de humor e tem vários títulos inéditos, entre eles, folhetos de cordel paradidáticos, tratando que questões gramaticais. É assessor de comunicação da Fundação Joaquim Nabuco.

Compartilhe

Sobre o autor

Comente!